O ator e o corpo

Atualizado: 11 de nov.

Há quem diga que o teatro físico é uma versão híbrida. É ter ainda mais consciência do corpo, trabalhá-lo com muita técnica e assumir a fisicalidade como um meio de comunicação em palco. Vamos pensar um pouco mais sobre este tema?



Eu quero transmitir artisticamente uma ideia, uma emoção, um desejo e vou fazê-lo sem voz, através do corpo. Este é, de facto, o fio condutor do Teatro do Físico.



A dependência do movimento físico


Já sabemos que, embora se possa usar texto no contexto do Teatro Físico, o foco principal está na fisicalidade do ator. A maneira como os corpos se movimentam e a forma como estes movimentos acontecem no espaço faz deste tipo teatral uma apresentação artística muito visual. A fisicalidade do artista cénico está em primeiro plano. Metodologias e dinâmicas combinadas dão origem a um espaço de criação onde o corpo se treina e se desenvolve numa linguagem própria, com vista a uma grande maturidade artística.


A gestualidade/movimentação é o elemento primordial e colabora em partes igualmente importantes com a dramaturgia textual, podendo até substituí-la. E não é só a exclusão da mensagem dita. Em muitos projetos, quaisquer elementos cénicos são mesmo dispensados! Será, então, muito mais visceral, mais dinâmico, mais vida e movimento? Sem rivalizar em termos de qualidade e cada um na sua esfera… Sim, sem dúvida!



As raízes do teatro físico


O termo teatro físico foi usado pela primeira vez em Inglaterra na década de 70, pelo ator/dramaturgo/encenador Steven Berkoff. Depois de ter estudado em Paris com Jacques Lecoq e Etienne Decroux, voltou a Inglaterra, onde encenou e adaptou espetáculos sobre textos clássicos, explorando ao máximo a capacidade física dos seus atores.



Momento Biografia


Steven Berkoff é um ator, autor, dramaturgo e encenador de teatro inglês. Como criador de teatro, é reconhecido por encenar trabalhos com um estilo de performance elevado, conhecido como "teatro berkoviano", que combina elementos de teatro físico, teatro total e expressionismo.




Foi neste seguimento que a crítica inglesa quis definir o trabalho de Berkoff, criando o conceito de teatro físico. Esta designação acabou por se enraizar na comunidade artística e entre o público, levando à descoberta e exploração, por parte de encenadores e companhias emergentes, da fisicalidade dos atores. Começa, então, a surgir uma nova vertente teatral, que contrasta com o teatro enraizado no texto, onde o corpo era completamente ignorado.



A estética contemporânea


O teatro contemporâneo pode ser difícil de definir. Sem estigmas e regras, o palco dá corpo e voz à criatividade, mesmo que se trate da peça com o maior percurso clássico. Assistimos a tempos de reinvenção, de novas perspetivas artísticas, novas abordagens, de uma nova criatividade que acompanha mudanças repentinas e explora uma mescla de conceitos. A atualidade é uma grande METÁFORA!



Tipos de teatro Físico


Não há uma definição instituída dos diferentes tipos de teatro físico, mas podemos enumerar alguns que facilmente cabem neste “estilo teatral”:


- A dança é uma das três principais artes cénicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. Manifestação artística física, é uma interpretação com alicerce teatral e com a componente física como protagonista.


- Circo – um verdadeiro espetáculo representado por artistas como acrobatas, malabaristas, ilusionistas, palhaços, equilibristas, contorcionistas – o corpo em grande destaque.


- Mímica – sem voz, não se perde a comunicação de sentimentos e pensamentos por meio de gestos e expressões corporais e faciais.


- Clowning - A arte do palhaço é cultivada no circo. Os estereótipos estão em cena com o palhaço rico e o palhaço pobre, em estilo de sátira social. Na evolução da personagem, o palhaço intervém em situações sociais, como por exemplo em âmbito hospitalar, onde procuram estimular o riso (que liberta endorfina) para estimular a regeneração ou em projetos de animação urbana, com truques ou malabarismos na rua.


- Slapstick (comédia física) ou “comédia visual” – Um teatro de ações físicas que pode ou não usar a palavra falada, onde a improvisação está, sem dúvida, sob holofote. Mr, Bean, diz-lhe alguma coisa?






𝙊 𝙏𝙚𝙖𝙩𝙧𝙤 𝙁𝙞́𝙨𝙞𝙘𝙤 𝙚́ 𝙨𝙤𝙗𝙧𝙚 𝙤 𝙘𝙤𝙧𝙥𝙤 𝙣𝙤 𝙚𝙨𝙥𝙖𝙘̧𝙤, 𝙘𝙤𝙢𝙪𝙣𝙞𝙘𝙖𝙘̧𝙖̃𝙤 𝙚 𝙚𝙛𝙞𝙘𝙖́𝙘𝙞𝙖. 𝙊 𝙄𝙢𝙥𝙧𝙤𝙫𝙞𝙨𝙤 𝙚́ 𝙖 𝙗𝙖𝙨𝙚 𝙙𝙚 𝙩𝙤𝙙𝙖 𝙖 𝙘𝙧𝙞𝙖𝙘̧𝙖̃𝙤 𝙖𝙧𝙩𝙞́𝙨𝙩𝙞𝙘𝙖 𝙤𝙧𝙞𝙜𝙞𝙣𝙖𝙡.





Jaime Mears tem uma vasta experiência e carreira internacional em Teatro, Cinema e Televisão e é a formadora e consultora Proficoncept em Teatro Físico e do Improviso!

Nasceu na Austrália e trabalha profissionalmente em Teatro, Cinema e Televisão na Austrália e em Portugal desde 1999. Desde 2018 que improvisa em contextos hospitalares, encarnando a personagem de Doutor Palhaço na Operação Nariz Vermelho. “Uma prevenção eficaz contra levar-se demasiado a sério”, diz Jaime.


Por que não conhece melhor a Formação Proficoncept de Teatro Físico e do Improviso aqui.


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo