SAÚDE MENTAL - O PRIMEIRO PASSO

Se, nas últimas décadas, a temática da saúde mental já tinha uma presença assídua nas discussões sociais, agora, nesta fase ainda pandémica a discussão está cada vez mais acesa.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (2014), “a saúde mental não é a simples ausência de doença, mas sim um estado de bem-estar em que cada indivíduo realiza o seu próprio potencial, consegue lidar com os desafios normais da vida, consegue trabalhar de forma produtiva e frutífera e é capaz de contribuir para a sua comunidade.”




Faz-se por cair estigmas e falsos conceitos de que quem tem perturbações emocionais ou qualquer outro tipo de doença mental é menos capaz e mais fraco. Acentua-se a máxima “Mente sã em corpo são”, insistindo-se na óbvia correlação entre o corpo e a mente, entre a saúde física e a mental.


No contexto COVID 19, são notórios os elevados níveis de stresse e ansiedade, desenvolvidos por diferentes faixas etárias. Se, por um lado, falamos do medo da doença e das suas consequências, sobretudo entre as pessoas mais velhas, por outro, os períodos de isolamento trouxeram o aumento da solidão, estado depressivo e/ou depressão. O uso nocivo de álcool, drogas e outros comportamentos considerados, após avaliação, patológicos são mais incidentes e prováveis. É urgente perceber que há um conjunto de fatores biológicos, psicológicos e sociais que podem estar na origem de um cenário de doença mental. Face a circunstâncias de vida mais complicadas, qualquer pessoa poderá ter uma certa probabilidade de vir a desenvolver algum tipo de problema deste foro ainda que depende de si fazer uma correta prevenção, manutenção e otimização do seu estado de saúde incluindo, evidentemente, a saúde mental.


Principais Patologias ligadas à Saúde Mental


Existem diferentes tipos de sintomas/sinais/sensações no âmbito da saúde mental, com diferentes níveis de gravidade, as abordagens terapêuticas deverão ser adequadas ao diagnóstico mais provável e/ou definitivo. A grande maioria tem tratamento, poderão algumas patologias, uma vez estabelecidas, não terem cura mas ser feita uma competente gestão e manutenção da mesma. É importante referir que, cada vez mais, há um investimento de trabalho dos profissionais de saúde e entidades envolventes para desenvolver técnicas e estratégias de tratamento cada vez mais adequadas nestes quadros clínicos de patologias ligadas à saúde mental.


Patologias mais frequentes e a ter em conta

  • Ansiedade

  • Mal-estar psicológico ou stresse continuado

  • Depressão vs Estado Depressivo

  • Dependência de álcool e/ou outras drogas

  • Perturbações psicóticas, como a esquizofrenia

  • Demências

  • Medos específicos ou generalizados

As perturbações depressivas e perturbações de ansiedade são, sem dúvida, as mais comuns. O estudo feito pela DGS Depressão e outras perturbações mentais comuns” refere que “a nível global, estima-se que mais de 300 milhões, equivalentes a 4,4% da população mundial” são afetados pela depressão.


A negação, a vergonha e o medo


Estas inviabilizam muitas vezes os pedidos de ajuda. A conquista de bem-estar depende desse mesmo pedido. Hoje em dia, é possível ajudar e tratar estas perturbações com eficácia e segurança!


E o primeiro passo tem de ser dado por si! Dar importância aos seus momentos, às suas necessidades, cuidar de si faz toda a diferença! Sejamos frontais, a ideia de que somos fortalezas impenetráveis já está completamente ultrapassada. Gerir expectativas e resultados, meras rotinas em casa e no trabalho não é fácil. Desacelerar também é preciso!

Reflita, pense, medite. Precisa de mudar alguma coisa na sua vida? Família, dinheiro e trabalho são grandes pilares que podem abalar a nossa saúde mental.


Todos sabemos que o trabalho é muitas vezes motivo de stresse e frustração. A passividade e falta de reconhecimento em contexto laboral é o suficiente para despoletar mal-estar.


A opinião dos especialistas



Numa conversa informal com o Dr. Diogo Almeida, Psiquiatra, membro do corpo médico do nosso parceiro Ferreira da Cunha Saúde, quisemos saber o que cada um, médico e paciente, pode fazer para gerir quadros de depressão e ansiedade.


“Com o acompanhamento psiquiátrico, procuramos intervir sobre períodos de sofrimento emocional, com impacto no funcionamento da pessoa. É certo que as emoções fazem parte da nossa vida (p.e. a ansiedade de um dia mais difícil no trabalho ou a tristeza após uma ruptura amorosa), mas quando são intensas, duradouras e causadoras de sofrimento, é importante pedir ajuda e atuar de forma célere.”


“Nesta intervenção procura-se, em conjunto com o paciente, identificar fatores de vulnerabilidade e de maior stress, capacitando-o a encontrar estratégias para lidar com ambas, numa perspetiva de tratamento, de prevenção de novos episódios e de promoção de saúde mental.”


O contributo Proficoncept


Fortalecer relacionamentos, desenvolver autoestima e melhorar o nosso desempenho profissional são, certamente, bons conselhos.


Na área da formação, a Proficoncept enquadra toda a sua oferta formativa num esforço de valorização, não só profissional, mas também pessoal. Acreditamos que aprender deve ser feito num ambiente de conforto e estímulo, com os melhores conteúdos programáticos e os melhores formadores, tendo sempre em conta a progressão saudável e acima de tudo a partilha de ferramentas para uma cada vez melhor e mais competente gestão da saúde mental!


Fica aqui o convite para poder integrar as nossas turmas, para podermos conhecê-lo(a) melhor e a certeza de que trabalhamos em prol do bem-estar de todos!


Todos juntos, somos a Proficoncept.


#saúdemental #proficoncept #ferreiradacunhasaude #formação

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo